Menu Principal > Artigos



“Medjugorje não é um engano!”, afirma famoso mariólogo italiano.
Postado em 24/01/2020, às 22:19:24
 
"Medjugorje não é um engano e os videntes merecem crédito. E as conversões são evidentes. A prudência da Igreja não significa uma rejeição, mas que sabe esperar." (Padre de Fiores)

Padre, então por qual razão a Igreja manifesta prudência sobre Medjugorje?

"Aprecio a sabedoria da Igreja. Hoje, não poderia fazer diferente, porque não sabemos quando o fenômeno terminará ou diminuir. As aparições continuam. Portanto, a Igreja espera. Mas esta espera não significa uma reprovação. Não é um sim e nem um não seco. É necessário esperar com calma e serenidade que as aparições cessem para poder dar o resultado."

De que modo o senhor avalia os videntes de Medjugorje?

“Eu os considero confiáveis. Enquanto isso, parece justo dizê-lo e, com a devida clareza e honestidade, três comissões médicas descartaram patologias de várias formas e espécies em relação a eles. Então, isso significa que eles não se alegram… ou não. Então, acho que não é possível que todos, em sincronia, digam ou vejam as mesmas coisas; portanto, minha opinião pessoal é absolutamente favorável a Medjugorje, respeitando a cautela correta da Igreja com fidelidade e obediência. Todo fenômeno de aparições, milagres ou eventos particulares e extraordinários demonstrou atenção e calma, sem entusiasmo fácil. Em termos simples, não considero injustificada a atitude da Igreja. Nesse lugar, muitas conversões acontecem e muitos sacramentos são administrados. As conversões denotam especialmente que o fruto é positivo e, se é o fruto, significa que a árvore é saudável. Diz a Escritura: 'Você as reconhecerá pelos frutos. Uma árvore boa não pode dar frutos ruins, mas de primeira linha'.

Então, o senhor está convencido de que não é um engano?

“Absolutamente que não. Não é uma questão de engano ou falsidade; por trás dela, está a mão sábia e bela de Deus."

Em Medjugorie, vemos o efeito perturbador de Maria, a toda santa? 

“verdade. Mas, gosto de analisar com vocês a oração do 'Magnificat'."

O que ele (o Magnificat) contém?

“É correto falar de uma leitura revolucionária. Mas, melhor: parcialmente revolucionária, do Magnificat. O que, por outro lado, não o convence dessa leitura os Teólogos da Libertação?”
A natureza política. O Evangelho tem indubitavelmente pistas sociais, mas nunca deve ser usado para fins políticos ou partidários. Em suma, instrumentalizar a Escritura com tons políticos, ou pior ainda, com Maria, é ruim. Nossa Senhora não faz política, no sentido vulgar do termo, mesmo que todas as Escrituras convidem conceitos de justiça, solidariedade e paz que, de alguma forma, coincidam com a proteção dos humildes e indefesos . Tão magnífico como hino social: isso me parece leitura correta e fiel. No louvor e glória em que Maria, literalmente, explode em gratidão pelo Senhor, cuja predileção não é para os ricos ou orgulhosos, mas para os pobres e simples.

 

Matéria original: https://www.medjugorjetuttiigiorni.com/search?updated-max=2020-01-18T09:58:00%2B01:00&max-results=7

 
 

Artigo Visto: 559 - Impresso: 7 - Enviado: 0

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.medjugorjeurgente.com.br